Arco Metropolitano – 50 anos de espera

março/2020 – FINALMENTE – A PRF vai abrir um posto no Arco Metropolitano. Com isso, empreendedores e comerciantes já estão apresentando seus projetos de instalação de várias frentes de negócios no trecho. Enfim uma boa notícia para nós, que deixamos de usar essa via por total falta de segurança. Resta saber em quanto tempo a PRF vai concluir a instalação de sua unidade.

novembro/2017 – CUIDADO: o caos em que o Rio de Janeiro se encontra na questão da segurança pública, fez desse trecho uma área sem lei. Os relatos de assaltos são muitos, alguns com casos de morte. A iluminação, projetada para ser auto suficiente (solar), vem sendo vandalizada para furto das placas e das baterias. Não se arrisque à noite. Procure ler e se informar se está havendo policiamento ostensivo durante o dia, antes de se aventurar.
Retornamos de Angra dos Reis este mês e cruzamos o trecho na ida e na volta, sempre antes das 14 horas. Vimos 2 comboios da Guarda Nacional e uma única viatura da PM, todos parados, dando uma sensação falsa de segurança, já que é o mesmo que nada para 75 kms e com tantas opções de fuga para os assaltantes.

Arco Metropolitano

Para nós, que estamos sempre cruzando de norte a sul e vice-versa, o Arco Metropolitano chegou, mesmo com 50 anos de atraso, e é muito bem vindo. São economizadas mais de 3 horas (em média), ao se evitar entrar e sair do Rio de Janeiro.

Municipios no Arco Metropolitano

Vindo de Vitória, Bahia ou Belo Horizonte, podemos alcançar a Via Dutra ou a Rio Santos, numa auto-estrada sem qualquer impedimento, rodando à velocidade de 100km/h, num trecho novo de 75kms. O arco interliga vários municípios e promete retirar mais de 35 mil veículos/dia, da Via Dutra, Washington e da Avenida Brasil, nos seus trechos de aproximação ao Rio de Janeiro.

O arco liga polos industriais importantes como o Porto de Itaguaí, a Refinaria Duque de Caxias, e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, em Itaboraí.

Durante a obra ocorreram fatos inesperados, que provocaram atrasos. Dentre eles a descoberta de 68 sítios arqueológicos e a necessidade de construir 2 viadutos para proteger o habitat da rã Physalaemus soaresi, espécie rara, ameaçada de extinção, que vive num lago em Seropédica.

O aspecto segurança e fiscalização ainda está muito aquém do mínimo necessário. O trecho novo não conta com postos de gasolina, comércios de beira de estrada, policiamento da PRF, ou da PM. Portanto, não circule por lá perto do anoitecer ou à noite, período em que se concentram as ocorrências de assaltos registradas.

Vale lembrar que o novo trecho que começa à partir da Washington Luiz e vai até a Rio Santos, corta muitos subúrbios do RJ, que servem de rota de fuga para bandidos interessados em roubos de carga. Não se arrisque. MotorHomes e veículos de recreio não são o objetivo principal, mas podem virar foco de atenção, por sua beleza, originalidade e potencial fonte de eletrônicos.

Nós já usamos o trecho muitas vezes, sem enfrentar dificuldades e fui parado por uma blitz da PM, curiosa em conhecer o equipamento. Foi essa também a única vez em que vi um carro da PM nos 75kms do percurso. As indicações de acesso na Via Dutra e na Rio Santos ainda são muito fracas. Na 040 a placa está muito encima da saída e na CRT está bem sinalizada.

2 Comments

  1. Anônimo março 5, 2020
  2. Carlos, Gleidys e Fredy março 5, 2020

Deixe um comentário