Campismo - Futuro discutido em encontro internacional em Viseu, Portugal

Europa

março/2015 - O futuro do campismo e caravanismo estará em discussão a partir de quinta-feira, em Viseu, durante o encontro da European Federation of Campingsite Organisations and Holiday Park Associations (EFCO&HPA), que junta representantes de 23 países.

O blog OBSERVADOR publicou artigo alertando a comunidade campista, tanto usuários como órgãos e entidades sobre o evento. A importância deste turismo na região tem sido foco frequente de reuniões e encontros visando organizar e melhorar as estruturas existentes. Quem dera, um dia, o Brasil entendesse nossa importância. A íntegra do artigo está a seguir. […]

campismo-na-europa

Foto: MARIO CALDEIRA/LUSA           

“O campismo e caravanismo são setores muito importantes da atividade turística e é relevante verificar que há cada vez mais apetência na Região Centro e em Portugal para acolher eventos de caráter internacional muito relevantes, como é o caso da Assembleia Geral da EFCO&HPA”, disse à agência Lusa o presidente da Entidade Regional de Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, anfitrião do evento.

Segundo o último estudo efetuado pelo Turismo de Portugal com dados do INE, 1,6 milhões dos turistas que visitam Portugal são campistas, o que corresponde a 5,6 milhões de dormidas em parques de campismo.

Em 2013, encontravam-se em atividade 213 parques de campismo em Portugal Continental. As regiões do Centro e Lisboa registam o maior número de campistas, com cerca de 48% do total, representando, no entanto, as regiões de Lisboa e do Algarve 50% das dormidas.

França, Espanha, Holanda, Reino Unido e Alemanha são os países que geram o maior número de dormidas nos parques de campismo, com quotas na ordem dos 24%, 17%, 16%, 15% e 12%, respetivamente.

“O campismo e o caravanismo movimentam muita gente em Portugal, mas têm estado fora dos indicadores estatísticos, o que tem de mudar”, defende Pedro Machado.

Na mesma linha, a representante de Portugal na Assembleia Geral da EFCO&HPA, Beatriz Santos, defende que “é necessário um investimento continuado, na observação, recolha e tratamento de dados, objetivo que se tem revelado difícil em Portugal, sendo muito reduzida, ou quase inexistente, a informação turística oficial desagregada para o setor do campismo”.

camping_flumet_f

Para a administradora da Orbitur e presidente do Grupo de setor de Campismo e Caravanismo, Hotelaria de Ar Livre e Caravanismo da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), o campismo é um dos setores turísticos com maior potencial de crescimento, apresenta padrões cada vez mais elevados de respeito pela ecologia e disponibiliza equipamentos de qualidade e conforto crescentes”.

O futuro do setor, defende Beatriz Santos, “deverá assentar na constante requalificação da oferta, em termos de equipamentos e facilidades, e em respeito absoluto pela natureza, mas para se poder antecipar as tendências é preciso promover mais estudos sobre o setor”.

Alemanha, Áustria, Bélgica, Croácia, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Reino Unido, Sérvia, Suécia e Suíça são os países representados na EFCO&HPA, que discutirão durante dois dias o futuro do setor.

A EFCO&HPA tem como objetivos principais a promoção e defesa dos interesses do setor junto das autoridades europeias – Conselho Europeu, Comissão Europeia e Parlamento Europeu, “garantindo que estes interesses são compreendidos e levados em conta no processo de tomada de decisão a nível europeu”.

Em paralelo, a EFCO&HPA “procura assegurar uma permanente troca de conhecimentos e partilha de informação entre os agentes do setor”.

fonte: Observador e Agência Lusa

Nenhum comentário:

Postar um comentário