Delfinópolis – MG, Serra da Canastra

abril/2015 - Deixamos nossa base em Capitólio e seguimos para Delfinópolis, nosso próximo destino, para conhecer a parte mais oeste do Parque Nacional da Serra da Canastra. Nossa Camper fez a primeira, de muitas outras, travessia de balsa. Nosso amigo, o gato Fredy estava um pouco preocupado com toda aquela água à frente.

fredy e a balsabalsa

Chegamos a Delfinópolis, com 2 opções de camping (Serro Alegre e Panela de Ferro). Ao chegarmos no portão do Camping Serro Alegre, ficamos inseguros em passar com o carro pesado por sobre o mata-burro da entrada. Como não havia ninguém com quem conversar, já que o camping ficava mais 2 kms adiante, decidimos pelo plano B, que foi o Camping Panela de Ferro, que também deixou a desejar. Os relatos sobre estes dois campings estão na seção de Campings Visitados nesta viagem.

Procurando onde ficar em Delfinópolis? Aproveite a caixa de pesquisa do Booking abaixo e encontre o que procura.

Booking.com

estacionados

Instalados no Camping Panela de Ferro e com o carro liberado, começamos a definir quais seriam as nossas investidas pela região.

A primeira escolha foi conhecer o Condomínio de Pedra, formações desenhadas pelo vento e pela chuva, que parecem até propositais. O acesso é muito ruim.

Sugiro tentar somente com um carro 4x4 e cuidando bem de seus pneus, por conta das muitas pedras no longo circuito de quase 8 km. O trecho reserva lindas vistas de toda a planície que é circundada pela Serra da Canastra.

Lindas Vistas

Condominio de Pedras 2Condominio de Pedras 3

Condominio de Pedras 1

Estrada de Acesso ao Atrativo Condominio das Pedras em Delfinópolis - MG

Falando honestamente, não vimos motivo determinante que justifique o desgaste do veículo, para ver estas formações. Mas só indo para saber.

Para ter uma idéia da estrada de acesso até este atrativo, olhe no filme ao lado, feito pela câmera do carro.

Não fiz qualquer edição nestes arquivos e reduzi a qualidade para ficar mais leve. Vale somente como registro.

Sugiro fazer grandes saltos na linha do tempo, para ver as várias partes do acesso de terra. A filmagem é muito longa.

placa

No dia seguinte, fomos conhecer as cachoeiras do Paraíso. Trata-se de um complexo com estrutura de apoio, que tem como principal atrativo as 7 cachoeiras que se formam no leito do ribeirão Paraíso.

A primeira (Paraíso) e a última (Triângulo), são as mais bonitas. O percurso total é de quase 4 kms, sempre à céu aberto. A trilha pode ser considerada de nível leve, mas sob sol quente pode ser cansativa, já que alguns lances são muito extensos. Leve água em boa quantidade.

O acesso a algumas cachoeiras exige algum esforço, já que as quedas estão muito abaixo do nível da trilha.


Cachoeira Paraíso

Destaque para a água cristalina.

água cristalinaponte na trilha

Cachoeiras do Paraíso

O banho é refrescante. As águas não são tão geladas como se espera.

Cachoeiras do Paraíso2flores locais

Na trilha é possível observar muitas flores, que valem o registro.

flores1flores2

flores5flores6

flores7

bica dagua

O almoço foi no restaurante Bica D´Água, próximo ao Trevo de Delfinópolis. Aliás, uma comida muito saborosa, rica em opções de pratos quentes, saladas e delícias mineiras.

O atendimento é feito diretamente pelo proprietário Sr. Reynaldo. A cerveja muito bem gelada.

Tornou-se nosso ponto de encontro após os passeios pela Serra da Canastra.


separador

Cachoeiras do Claro

 Em nosso último dia em Delfinópolis, fomos conhecer o complexo do Claro, que conta com uma estrutura completa de camping e pousada, que detalhamos em artigo específico na seção de Campings Visitados nesta viagem.

É mais um grande e belo grupo de cachoeiras, que vale a pena ser visitado.

Teria sido uma ótima opção termos estacionado nossa Camper aqui no Claro. Nesta visita fomos recepcionados por um grupo de macacos prego. A tranquilidade do lugar é especial.


Macacos Prego

O destaque fica para a bela Cachoeira da Gruta. A trilha de acesso às cachoeiras tem pontos de nível leve, médio e alguns um pouco complicados, com acessos por raízes e pedras escorregadias, mas nada que um pouco de cuidado não supere.

Cachoeira da Gruta

Gruta2Claro2

Claro3Claro5

Claro6Claro8

Claro7

Estes dias na região da Serra da Canastra foram de imersão ao ambiente de lagos, rios e cachoeiras. Muito ainda há que se ver na parte alta do Parque Nacional da Serra da Canastra. Este acesso estava fechado por conta das fortes chuvas que antecederam nossa chegada, comprometendo as estradas dentro do parque. É sempre bom ter motivos para voltar. No breve filme a seguir, um pouco mais do que vimos e fizemos por aqui.

Encerramos nossa passagem por Delfinópolis-MG. Vamos virar a proa para Ouro Preto, aproveitando o bom tempo e a oportunidade de estarmos próximos.

Para continuar a sequência desta viagem, volte ao menu anterior.

Viagens Nacionais

Até breve.    Siga-nos nas redes sociais assinatura

           Siga-nos no Twitter Veja nosso canal no YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Instagram

2 comentários:

  1. Muito bom acompanhar vocês pela Serra da Canastra. Ficamos com água na boca e vontade de seguir pra lá também.
    Vocês são demais!
    Abraços fraternos,
    Marcelle e Sylvio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Marcelle e Sylvio. Quando forem, conte-nos o que fizeram por lá. Grande Abraço

      Excluir