Mostrando postagens com marcador trilha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador trilha. Mostrar todas as postagens

Refúgio Pedra Aguda em Bom Jardim, RJ

Refugio-Pedra-Aguda---agosto/2018 – fomos conhecer o Refúgio da Pedra Aguda, no município de Bom Jardim, Rio de Janeiro.
O nome já diz. Trata-se de um lugar onde você vai se refugiar de tudo que lhe é sinônimo de rotina. Aqui você vai encontrar muita paz, hospitalidade, tranquilidade, silêncio, uma comida deliciosa e uma natureza exuberante. O refúgio Pedra Aguda é a porta de entrada de uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural). Veja mais… >>>

Ilha Grande em Angra dos Reis. Revisitando 17 anos após.

Lagoa Azul - Ilha Grandenovembro/2017 – dá pra acreditar? ─ Foram precisos 17 anos para que nós encontrássemos espaço na agenda de viagens e voltar ao paraíso das águas e trilhas.
Estivemos aqui em 2000. Realizamos o projeto de caminhar toda a extensão da ilha em 11 dias, dormindo e cozinhando em nossa minúscula barraca “iglu”. Atualmente, boa parte daquele circuito não pode mais ser pisado, em nome da preservação ambiental.
Agora, em 2017, voltamos para rever alguns dos cantos que mais tínhamos saudade. Veja mais… >>>

Cachoeira Véu da Noiva, Parnaso, sede Petrópolis

cachoeira-veu-da-noiva-parnaso-petropoliscachoeira-veu-da-noiva-parnaso-petropolis-2outubro/2017 – uma trilha de dificuldade técnica baixa, de fácil orientação, com duração de 1 a 2 horas (ida), que te leva a vários poços no leito do Rio Bonfim e termina na linda cachoeira Véu da Noiva, com 40 metros de queda e um agradável poço de águas transparentes.
A distância aproximada é de 4 kms e pode ser aproveitada durante o ano todo, sendo que no verão, fica com o volume de água maior, por conta da temporada das chuvas.
Tudo começa na portaria do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sede Petrópolis, que fica no bairro Bonfim, em Correas (veja coordenadas no fim do artigo). Veja mais… >>>

Costão do Pão de Açúcar, Urca - RJ

enseada-da-urca e botafogo

abril/2017 – a trilha do Costão do Pão de Açúcar é uma das unanimidades de beleza no Rio de Janeiro. Nos 5 anos que moramos na Urca, subimos mais de 5 vezes, levando amigos para dividir esse prazer e visual.
O tempo médio de ida e volta é de 3h30min. A trilha é considerada de nível médio, por conta da constante subida e requer conhecimentos de escalada para vencer o difícil lance de 20 metros (classificado em 3º grau), que já resultou em alguns acidentes. Desde que bem acompanhado, é só diversão. Veja mais… […]

Patagônia, El Calafate, El Chaltén, Buenos Aires e Ushuaia

El_Calafate_Perito-Moreno-sm

relembrando março/2007 – esta foi, sem dúvida, uma de nossas melhores viagens, em especial pela exuberância da natureza que vimos.
Foram 15 dias muito bem aproveitados. Nosso roteiro incluiu 2 dias em Buenos Aires, 4 dias em El Calafate, 3 dias em El Chaltén e 6 dias em Ushuaia.
Viajamos TAM, direto para Buenos Aires. Perseguindo o conceito da viagem econômica, resolvemos nos hospedar num albergue, de nome Hostel Recoleta, bem localizado. Foi o que mais transmitiu segurança nos contatos por e-mail e na página da Internet. Mas, mesmo com a reserva impressa, nosso quarto não estava separado. Veja mais… […]

recoleta-hostel-entrada

Não foi um bom começo para quem chega em outro país, à noite. O atendente pouco se dispôs a resolver o problema. Depois de alguma discussão, apareceu um quarto com ar condicionado central, mal localizado, mas era o que se apresentava mais a mão no momento.
O quarto dava para o pátio onde todos os hóspedes se encontram para conversar. O ar-condicionado só funcionava das 24 às 5 horas da madrugada. Antes disso, esqueça que você não vai conseguir descansar. Somados calor e barulho, saímos para a noite de Buenos Aires. Achamos um restaurante próximo e ali ficamos até a hora do sono. Para não cair nessa furada, faça sua pesquisa e reserva direto no Booking.

Booking.com

Já havíamos agendado o tour de bicicleta pelo centro de Buenos Aires para a manhã seguinte. O ponto de encontro de quase todos os operadores deste serviço é na Plaza San Martin. O custo por pessoa é da ordem de R$95,00 (valores atualizados fev/2017). As bikes são ótimas, os guias bilíngues mais ainda. É de fato, uma forma muito agradável de conhecer a cidade.

Bosque de Palermo em Buenos AiresBosque de Palermo em Buenos Aires

A Casa Rosada estava em manutenção, com andaimes e tapumes escondendo parte de sua beleza arquitetônica. Em Puerto Madero visitamos o veleiro escola da marinha Argentina que estava, por sorte, ancorado por ali.

casa-rosada-em-obras-de-manutencaopuerto-Madero-veleiro-escola
puerto-Madero-veleiro-escola-2puerto-Madero-veleiro-escola-3

A visita ao Cemitério da Recoleta e ao mausoléu de Evita Peron nós dispensamos. Trocamos por uma Quilmes bem gelada, enquanto os demais se deliciavam com a história dos ocupantes dos túmulos. O passeio continuou pelo centro, passando por músicos de rua e performances de tango ao ar livre. Nosso passeio terminou num agradável bar e restaurante temático, ambientado com muitas motocicletas que servia um Chopp na temperatura certa para um quente dia de março.

Buenos_Aires_musicos-de-ruaBuenos_Aires_bar-tematico-2
Buenos_Aires_bar-tematico-3

À noite saímos a pé para jantar no Pizza Los Maestros, onde experimentamos as famosas empanadas sugeridas pelo pessoal do hostel (nossa preferida foi a cebola e queijo). As pizzas também são muito saborosas e bem originais. Última noite de barulho no hostel, antes de seguirmos para El Calafate.


el-calafate

Deixamos Buenos Aires com destino a El Calafate pela AA (Aerolineas Argentinas). Em El Calafate ficamos no simples e confortável Cerro Cristal Hotel (sem site – tel.: 54 (2902) 491-088).
Quarto com aquecimento (temperatura exterior, à noite, estava em torno de 7ºC), tudo muito limpo, boa cama e instalações generosas. Aproveitamos o resto do dia para bater perna por Calafate e tirar $ nos caixas Visa e Mastercard, já que não estávamos conseguindo usar o cartão do Banco do Brasil. No dia seguinte saímos logo cedo de ônibus, para o Parque Nacional Los Glaciares.

Procurando onde ficar em El Calafate? Aproveite a caixa de pesquisa do Booking abaixo e encontre o que procura.

Booking.com

El_Calafate_Parque-Nacional-Los-Glaciares

Passeando pelas passarelas, ficamos frente a frente com o espetacular Glaciar Perito Moreno. Enquanto aguardávamos a hora do embarque para navegar junto à parede do glaciar, presenciamos muitos desmoronamentos, alguns de grandes proporções. Experiências únicas e incomuns para os olhos de nativos tropicais.

El_Calafate_Claciar-Perito-Moreno-1El_Calafate_Claciar-Perito-Moreno-2

As variações do branco ao azul impressionam. Difícil imaginar uma coluna de 60 metros de gelo acima do nível do mar, 5 quilômetros de extensão e mais de 150 metros de profundidade, sendo empurrada mais de 1 metro por dia em direção ao lago Argentino. A temperatura estava na ordem dos 9ºC.

El_Calafate_Claciar-Perito-Moreno-4El_Calafate_Claciar-Perito-Moreno-3
El_Calafate_Claciar-Perito-Moreno-5


No dia seguinte, retornamos ao parque para o Treking sobre o gelo do Glaciar. Uma experiência imperdível. Não deixe de fazer. O dia teve de tudo. Sol, chuva durante a navegação, muito frio e vento.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-1Perito_Moreno_treking-no-gelo-2

A paisagem de aproximação do glaciar é surpreendente, composta de muitas pedras, troncos e galhos mortos.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-3

Recebemos as orientações de segurança e os equipamentos (botas de pregos (crampons), capas de chuva e luvas extras). Partimos para nosso treking no gelo.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-4Perito_Moreno_treking-no-gelo-5

Caminhar sobre o gelo não demanda técnicas especiais. Os crampons dão toda a segurança e aderência que você precisa. Bastam alguns minutos de adaptação e pronto. Após algum tempo sobre a geleira, sua percepção do frio nas extremidades (mãos, orelhas) fica comprometida, portanto, não deixe de usar as luvas e tocas. Quando resolvi checar minhas orelhas, achei que não estavam mais ali de tão dormentes.oops

Perito_Moreno_treking-no-gelo-6Perito_Moreno_treking-no-gelo-7

Os buracos por onde a água derretida escorre podem ter até mais de 100 metros de profundidade. Se originam a partir de pequenas partículas sólidas que ao descansar sobre o gelo, absorvem o calor do sol, começam como pequenas poças, aprofundando até encontrar com o leito do lago. O lugar, em nada se parece com o que estamos habituados.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-8

Tivemos a oportunidade de fazer alguns exercícios de escalada em gelo, com o auxílio dos crampons e dos piolets, espécie de machadinha que fura o gelo e permite a ascensão na parede.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-9Perito_Moreno_treking-no-gelo-10

A confraternização ao fim do treking foi perfeita. Uma farta mesa com uísque e chocolate para aquecer a alma e as orelhas.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-11

A vegetação que divide este ambiente com a geleira é resistente e única. No inverno é praticamente enterrada pelo gelo e pela neve, vindo a renascer nos meses mais quentes.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-13Perito_Moreno_treking-no-gelo-14
Perito_Moreno_treking-no-gelo-12

Um lugar de muita energia, impactante, belo e único.

Perito_Moreno_treking-no-gelo-15

Nos despedimos de El Calafate com um jantar no restaurante La Tablita, um dos mais antigos estabelecimentos da cidade (1968). A especialidade são as carnes e churrascos, mas nós preferimos as pastas “Ravioles de verdura e ricota” e o “Noquis Casero”, acompanhados de um bom vinho.


No dia seguinte, tomamos o rumo de El Chaltén no ônibus da Chaltén Travel. Com 3 horas e meia cobrimos os 230kms que separam as duas cidades. Rebanhos de guanacos correndo livres foram o destaque do deslocamento.

rebanho-de-lhamas-el-chalten
el-chalten-na-estrada-para-1el-chalten-na-estrada-para-2

El Chaltén é conhecida como a capital mundial do treking (uma de nossas paixões). Saltamos do ônibus, na frente de nosso Hostel, o La Comarca. Bem simples, mas o necessário para quem só precisa descansar. Sem café da manhã.

Procurando onde ficar em El Chaltén? Aproveite a caixa de pesquisa do Booking abaixo e encontre o que procura.

Booking.com
el-chalten

O dia começa bem cedo por aqui. Para se chegar ao início das principais trilhas, é preciso atravessar a cidade, aproveitando para tomar o café da manhã a meio caminho. As trilhas são muito bem marcadas, não demandando apoio de guias. As montanhas são deslumbrantes, os glaciares mais ainda.

El_Chalten_trilhas
El_Chalten_trilhas-2

É muito curiosa a dança do coloca casaco, luva e touca, depois tira tudo, depois coloca de novo e assim sucessivamente, durante o esquenta e esfria das caminhadas. A imponência do Cerro Fitz Roy se destaca na paisagem, dominando seu olhar a todo instante.

El_Chalten_Fitz-Roy

Portanto, precisamos da clássica foto com os Cerros Fitz Roy e Torre ao fundo.

El_Chalten_Fitz-Roy-foto-classica

A cor dos lagos é de um azul quase turquesa, alimentados pelas águas do degelo dos glaciares. Abaixo, o glaciar Huelmul e o lago Del Deserto.

El_Chalten_lagos-do-degelo-1El_Chalten_lagos-do-degelo-2

Aqui fizemos alguns amigos de caminhada, que renderam bons papos nas noites por lá.

El_Chalten_amigos-de-caminhada


Ainda voando pelas Aerolineas Argentinas, seguimos para Ushuaia, e o inesperado aconteceu. Desembarcamos do avião embaixo de uma nevasca.
Corremos para o Albergue Los Cormorones e deixamos nossas coisas. No mesmo taxi, seguimos de imediato para o Glaciar Martial, para aproveitar toda aquela neve. Pegamos o teleférico e subimos até o abrigo e de lá seguimos andando neve adentro. Sabíamos que aquele clima era incomum nesta época do ano (março). Começamos com o pé direito. Vejam abaixo:

Ushuaia_teleferico-glaciar-martialUshuaia_nevasca-glaciar-martial
Ushuaia_nevasca-glaciar-martial-2

Nosso apartamento era o mais alto do albergue, que já fica na parte alta, e com vista para toda Ushuaia. O que não sabíamos era que não tinha aquecimento. O privilégio das amplas janelas de vidro contrastava com a pouca calefação. Dormimos agasalhados, embaixo dos edredons e agarrados. Já a cerveja não precisou de muito tempo para ficar no ponto. Falando do Albergue, fora a questão do frio intenso de nosso quarto, nada temos a reclamar. Café da manhã incluído, todas as dicas e informações à mão, equipe muito cordial e atenciosa.

Procurando onde ficar em Ushuaia? Aproveite a caixa de pesquisa do Booking abaixo e encontre o que procura.

Booking.com

Ushuaia_Albergue-CormoronesUshuaia-quilmes-gelando-na-neve

No dia seguinte, fomos conhecer a Estância Harborton. O passeio começou por Van. Fomos até o Paso Garibaldi para fotos. Após 1:30h de trilhas e explicações históricas sobre a Estância, pegamos o Catamarã Canoeiro, para visita a ilha dos Pinguins e a ilha dos Lobos.

Ushuaia_catamara-canoeiroUshuaia_ilha-dos-pinguins 

Não nos foi permitido descer na ilha. Julgamos muito correto, como forma de preservar a tranquilidade dos pinguins.
Ushuaia_ilha-dos-pinguins-2

A viagem de retorno a Ushuaia foi de 70km por mar. Somente a tripulação e a Gleidys (minha esposa) não passaram mal. O mar estava muito batido e o vento congelante. Se for encarar, tome um remédio para enjoo, 30 minutos antes.

Ushuaia_catamara-canoeiro-2Ushuaia_catamara-canoeiro-3

O anoitecer à bordo nos trouxe lindas imagens.

Ushuaia_catamara-anoitecer


No dia seguinte, saímos para um passeio de veleiro pelo canal de Beagle. Este canal banha a cidade, faz divisa entre o Chile e a Argentina e ainda promove o encontro entre os oceanos Atlântico e Pacífico. O passeio passa pela Ilha dos Lobos Marinho, a Ilha dos Pássaros e o Farol Les Eclaires (Farol do Fim do Mundo), sem desembarque. O desembarque foi na ilha H, pertencente ao arquipélago Thomas Bridge. É uma reserva natural, com solo e flora bem característicos e com muita vida marinha que, pudemos observar durante uma bela caminhada. O passeio no veleiro IF foi muito agradável. O mar estava bem liso e a brisa permitiu uma velejada bem constante.

Ushuaia_Veleiro-IF-1Ushuaia-veleiro-IF-2
Ushuaia_Veleiro-IF-2Ushuaia_ilha-H
Ushuaia_ilha-H-vegetacao-algas-pedras
Ushuaia_ilha-H-vegetacao-algas-pedras-2Ushuaia_ilha-H-vegetacao-algas-pedras-3
Ushuaia_ilha-H-cormorones
Ushuaia-veleiro-IF-3Ushuaia-veleiro-IF-4

Ao passar ao lado da ilha dos Lobos Marinhos o cheiro característico do lugar domina o ar.

Ushuaia_ilha-dos-lobos-1
Ushuaia_ilha-dos-lobos-2


De manhã fomos conhecer e fazer o percurso na réplica do Trem do Fim do Mundo, ou o Trem dos Presos, como era chamado 100 anos atrás. Partia da prisão de Ushuaia com os presos, até a encosta do Monte Susana para obter diferentes materiais de construção, principalmente lenha, destinada ao abastecimento e calefação do presídio e do povoado, em especial no inverno rigoroso. A ferrovia corta o Vale do Rio Pipo, num percurso de 1 hora aproximadamente. Tarifas, horários e mais detalhes no site oficial El Tren Del Fin Del Mundo.

Ushuaia_trem-do-fim-do-mundo

Caminhar é um de nossos prazeres preferidos. Então, lá fomos nós para algumas horas de trilha pelo Parque Nacional da Terra do Fogo. Distante 11 km da cidade, este parque foi criado em 1960, contando com 63 mil hectares. Andamos por bosques de lengas, rios, lagos, diques de castores,... É a natureza mais austral do continente.

Ushuaia_baia-ensenadaUshuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-Lengas
Ushuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-patos-migratoriosUshuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-trilhas
Ushuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-lagosUshuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-diques-castores

Os diques construídos pelos castores que habitam a região são considerados um grande problema, quando a população destes animais cresce demasiadamente, pela falta de predadores naturais. Estas retenções no curso das águas criam muitos problemas, quando desmoronam em decorrência da pressão da água nas épocas de cheia.

Ushuaia_Parque-Nacional-Terra-do-Fogo-diques-castores-2

Nossa viagem chegando ao fim, retornamos à Ushuaia para aproveitar um pouco da cidade.

Ushuaia_cidade-1Ushuaia_cidade-2
Ushuaia_cidade-3Ushuaia_cidade-4

Depois do frio que passamos sem a calefação no quarto do albergue, entendemos o motivo de muitas casas serem construídas com folhas de zinco. É a forma de captar o calor durante o dia, para refratar durante à noite. Vejam este castelo de zinco abaixo!!

Ushuaia_cidade-casa-de-zinco

Voltamos ao Glaciar Martial, nosso ponto de partida para outra visita. Desta vez não estava nevando como na chegada. Pudemos então rever a mesma paisagem, agora mais descoberta e não menos bonita.

Ushuaia_glaciar-martial-1Ushuaia_glaciar-martial-2
Ushuaia_glaciar-martial-3Ushuaia_glaciar-martial-4
Ushuaia_glaciar-martial-6Ushuaia_glaciar-martial-5
Ushuaia_glaciar-martial-7Ushuaia_glaciar-martial-8

As coordenadas de todos os lugares que visitamos nesta viagem podem ser obtidos através deste arquivo.kmz, para abertura pelo Google Earth.

Abaixo, alguns momentos da viagem transformados em filmes. Nessa época (2007) os cartões de memória eram muito pequenos para filmagens e nossa técnica de edição ainda um tanto quanto primária. rssss

Até breve.    Siga-nos nas redes sociais

         Siga-nos no Twitter Veja nosso canal no YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Google+


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ A LEITURA ABAIXO

Cataratas do Iguazú – Lado Argentino
Cabo Polonio - Uruguai
Piriápolis - Uruguai

Aproveite que está aqui, cadastre abaixo seu e-mail em nosso Feed de notícias e receba gratuitamente, todas as atualizações deste blog.

 

duaron-logo-400[6]Gostou de nosso equipamento? Aproveite e conheça mais sobre a Camper Duaron, clicando no banner ao lado. Venha para a estrada conosco.


Precisa alugar um carro? Aproveite e faça sua pesquisa conosco, através da RENTCARS.

Seu aluguel tem isenção de IOF e pode ser parcelado em até 12x.

Você está pagando o melhor preço e ao mesmo tempo, ajudando este blog.



Vai viajar? Seguro de Viagem é item de Primeira Necessidade. Leve-o com você. Aproveite e faça uma comparação de preços e coberturas entre as melhores seguradoras do mercado no painel abaixo.