Mostrando postagens com marcador Pet. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pet. Mostrar todas as postagens

Dia Mundial dos Animais

Fredy, nosso companheiro de viagens

outubro/2017 – Hoje também é Dia de São Francisco de Assis, o protetor dos animais.
Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.

A data de hoje, 4 de outubro, celebra anualmente o Dia dos Animais, aqui no Brasil.
A data destaca a importância que os animais têm na vida dos seres humanos e do planeta Terra, ressaltando o respeito e o compromisso que todos os seres humanos devem ter com o meio ambiente.
O Dia dos Animais é amplamente comemorado pela Igreja Católica. Em muitas paróquias são rezadas missas, onde os donos podem levar seus animais para receberem uma bênção especial. Veja mais… […]

PARABÉNS FREDY

fredy-o-gato-viajante

Hoje (15/09) nosso querido Fredy, o gato viajante completa 8 anos de muito companheirismo. Sua fredy-filhotepresença nas viagens nos faz sentir em casa, seja onde for. Além de fazer parte da família, Fredy desempenha, naturalmente, funções muito importantes em nossos acampamentos.

Seu faro apurado e seus ouvidos sempre alertas são responsáveis pela checagem dos arredores em nossas paradas. Nada, nada passa desapercebido ao seu controle. Não foram poucas as vezes em que nos livrou de surpresas como cobras e aranhas próximas de nosso equipamento.


Vida longa para nosso eterno filhote

                    Até breve.    Siga-nos nas redes sociais

         Siga-nos no Twitter Veja nosso canal no YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Google+

Dewey, um gato entre livros

dewey-um-gato-entre-livros--

janeiro/2017 - Quem convive com gatos está sempre se surpreendendo com a interação exclusiva, inteligente, às vezes passional, às vezes indiferente, mas sempre únicas.

Trata-se de uma história real, com um começo não tão incomum. Abandonado ainda filhote, dentro da caixa de devolução de livros de uma biblioteca em Spencer, nos Estados Unidos, durante um inverno rigoroso. Mais algumas horas antes de sua descoberta teriam produzido um final triste.

Dewey tornou-se o mascote da biblioteca e aos poucos foi conquistando toda a comunidade de Spencer. Mostrando-se muito sociável, viu-se mais um funcionário da biblioteca, realizando suas funções diárias com muita eficiência.

Ficou tão famoso, que emissoras do outro lado do mundo se deslocaram para conhecer o gato de nome “Dewey Readmore Books”. Veja mais… […]

Feliz Natal, muita Paz, Carinho e Solidariedade

Fredy-selfie-Natal-2016-NEP

dezembro/2016 – nosso querido Fredy trabalhou duro para conseguir finalizar sua “selfie” natalina.
Mostrando muita calma e paciência, quase achamos que não fosse dar cabo da tarefa.
Muito seletivo, nunca estava satisfeito com o resultado. Hora o clique não agradava, hora o ambiente não parecia apropriado.
Até que tudo se encaixou. Ao nosso ver faltou um sorriso mas a decisão final não estava em nossas mãos.
Admitiu somente,  uma melhora no contraste e nas cores. Esse é nosso Fredy, amigo e companheiro inseparável.

DESEJAMOS A TODOS OS AMIGOS UM NATAL DE MUITA PAZ, CARINHO E SOLIDARIEDADE

Gatos, misteriosos, independentes, amados, perseguidos…

Fredy-1-sm

dezembro/2016 – Nosso Fredy, companheiro de viagens e de vida, está conosco a 6 anos. Foi nossa primeira experiência com gatos.
As pesquisas mundiais mais atuais mostram que a preferência das famílias está migrando do cão para o gato. O único país da pesquisa que aponta o cão ainda na frente, é o Brasil.
Essa tendência tem muitas causas, dentre elas a miniaturização dos espaços e os custos de manutenção do mascote.
Você já se perguntou por que o gato é tão arisco no primeiro contato com o homem? Os motivos vem de muito longe, algo em torno de milênios e milênios de perseguições violentas. Nesses 13.000 anos de convivência, o gato já passou de deus a demônio muitas vezes. Veja mais… […]

APPEGO - Unidade de rastreamento que entrega o que promete

appego-logo

novembro/2016finalmente colocamos a mão num dispositivo que realiza todas as funções a que se habilita.
O Appego combina a capacidade de ser rastreado com as pequenas dimensões e peso.
Nosso principal uso será o de monitorar nosso companheiro e membro importante da família, o gato Fredy, especialmente nas viagens. Mas o Appego resolve outras interessantes demandas, como rastrear seu carro, sua moto, sua lancha, motorcasa, a mochila de seu filho pequeno ou qualquer bem que esteja sujeito a desaparecer sem prévio aviso. Fizemos muitos testes e estressamos os desafios, tanto para o dispositivo físico quanto para o APP que faz a interface com o usuário. Veja mais detalhes … […]

Fredy – 8 anos de companheirismo e viagens

IMG_20150124_181226144

setembro/2016 – nosso querido Fredy, companheiro de vida e de viagens está completando 8 anos de idade.
O que para muitos é inesperado (ver um gato dentro de um carro e a cada dia num espeço diferente), para ele é um universo de novas experiências, novos cheiros, novas interações.
Seu temperamento sociável e gentil não compromete seus instintos de felino aliás, sempre estimulados por nós. Parabéns e muita, muita saúde para nosso parceiro de estrada e descobertas. Veja mais… […]

Pets Campistas e Campings Pet Friendly

pet-campista

junho/2016PET FRIENDLY (pode ser traduzido como “amigos de animais de estimação”) é uma tendência mundial, seja em restaurantes, hotéis e pousadas, companhias aéreas e marítimas,…
Como forma de atrair uma parcela considerável de clientes, que fazem questão de viajar e partilhar seus momentos de lazer com seus amigos de 4 patas, os empresários do turismo começam a quebrar essa antiga resistência. E os nossos campings? Como estão encarando nossos mascotes? Veja mais… […]

Os números impressionam

44,3% dos lares brasileiros tem pelo menos um cão
17,7% tem ao menos um gato
Paraná é o estado em que mais casas têm cão
52 milhões de cães e 22 milhões de gato em 40,4 milhões de casas
Existem mais animais de estimação (74 milhões) que crianças (44,9 milhões)

criancas-animais

O assunto deixou de ser uma tendência, para se tornar uma realidade inquestionável. Levar seu animal de estimação (considerado parte integrante da família), para as atividades de lazer é uma prática cultural histórica. Os benefícios da convivência com os animais de estimação são inúmeros. As vantagens vão da redução da pressão arterial à melhora na depressão. Dentre os principais estão a melhora da auto estima, o aumento da prática de atividades físicas e maior convívio social. As vantagens da convivência com animais se estendem da infância à terceira idade. Por ser uma etapa da vida repleta de aprendizados diários, a infância beneficia-se do contato com um animal de estimação pelo auxílio no aprendizado de valores como respeito, cuidado e responsabilidade, além de ter no pet um carinhoso e animado companheiro para os momentos de diversão e brincadeiras.passeando-com-seu-animal-de-estimacao

Já para a terceira idade, etapa em que é comum um maior afastamento dos familiares e isolamento social devido ao ritmo mais desacelerado de vida, o animal é o companheiro ideal de todas as horas, sempre disponível para oferecer carinho e companhia, além de contribuir também para o resgate da sensação de prazer relacionada ao cuidado com o outro (alimentação, cuidados com a saúde e higiene etc.).

E os campings? Estão preparados para bem receber campistas e seus pets?

Eu responderia que ainda não, mas isso está mudando. A despeito de muitos e bons esforços nesse sentido, ainda existe uma considerável refração a ideia de conviver com nossos animais. É claro que REGRAS DE COMPORTAMENTO precisam e devem ser editadas e respeitadas. Aos que não couber ENQUADRAMENTO, devem ser convidados a se retirar, em benefício dos demais. Animais com atitudes agressivas ou comportamentos excessivamente agitados e barulhentos, comprometem a tranquilidade dos demais animais e usuários. Esse filtro comportamental não é uma exclusividade dos animais. Muitos humanos também não sabem se comportar em comunidade.

Em nossa recente viagem ao Uruguai, visitamos 6 campings. Todos continham em seus regulamentos, restrições a presença de animais de estimação. Nossa técnica foi a de não trazer a tona esta questão (não vimos, não lemos, não ouvimos). Como nosso gato Fredy é muito tranquilo, não tivemos dificuldades de mantê-lo dentro de nosso equipamento e as saídas para passeios foram feitas em horários mais reservados.

Aqui no Brasil, seguimos a mesma técnica. Com isso, acabamos por descobrir que a restrição nopets-welcome regulamento tem caráter simbólico (velado). Agrada a quem não quer conviver com animais, mas não representa uma regra irrecorrível. De dezembro/2015 a fevereiro/2016, visitamos 14 campings, do Rio de Janeiro ao Rio Grande do Sul. Destes, 10 eram PET FRIENDLY, 1 possuía área reservada para motorhomes com animais e 3 tinham regras rígidas contra a presença de animais.

Quer nos parecer que algumas administrações não sabem lidar com essa tendência. Alguns preferem tratar caso a caso, evitando assumir uma postura favorável ou não. Essa ausência de critérios acaba por produzir atritos entre usuários, independente da ocorrência de transtornos. Muito parecido com o quase nunca cumprido horário de silêncio divulgado em regulamentos e placas ostensivas onde a tolerância funciona de acordo com o freguês.  

Onde você pode acampar com seu animal de estimação? Em qualquer CCB, ainda em atividade. Essa é uma interessante constatação. A presença dos animais de companhia sempre esteve atrelada ao campismo, desde a época áurea do CCB (década de 60/70). Em nossa lista de Campings Visitados no Brasil, você vai encontrar a indicação dos que são e os que não são PET FRIENDLY.

Como melhorar a receptividade dos campings? Atuando como formadores de opinião. Em cada camping que visitamos e encontramos alguma restrição, procuramos conduzir uma discussão inteligente e, ao mesmo tempo comercial, das vantagens em se tornar mais acessível, de se atualizar em relação às tendências, além de apresentar casos de sucesso. Ligados aos animais estão famílias e família é sinônimo de consumo, de lucro. É claro que  este assunto nunca será uma unanimidade, mas resistir indefinidamente não é sinal de esperteza.

gatodorme

Em nossas andanças conhecemos muitos amigos de estrada que evitam levar seus mascotes. Alguns com razão, já que seus animais não atendem aos princípios mínimos de convivência, perturbando a tranquilidade do próximo. Outros comentam da dificuldade de aceitação dos campings. Em viagens longas é certo encontrar campings refratários a animais. E aí, o que fazer com o animal dentro do carro ou do motorhome? Planejamento e negociação prévia ajuda. É assim que fazemos. Mas também conhecemos outros tantos que fazem questão de estar com seus companheiros de 4 patas seja aonde for, dentro ou fora do país.

  • Nossos amigos Luiz e Francini Luz, levam as gatas Athena e Cristal em seu motorhome. São irmãs, com 5 anos. “A última viagem delas deluis-e-francini-2 motorhome foi para Argentina e Chile em dezembro de 2015. Elas ficam super bem dentro do motorhome, viajam tranquilas, andam durante o movimento, dormem muito durante a viagem, principalmente no colo do motorista, meu marido Luiz e no meu colo também. Elas estranham o ambiente do motorhome apenas no primeiro dia, depois disso, sabem que ali é a nova casa delas e se sentem seguras com a sua família. Nos campings, infelizmente, é mais difícil sair com elas, porque sempre tem muitos cães e a presença deles pode assustá-las.
    Quando possível, geralmente à noite, elas saem para um pequeno passeio, sempre usando a guia. No Chile e Argentina, elas saíam todos os dias para um pequeno passeio, sempre próximo ao motorhome. Por medida de segurança deixamos a porta do motorhome sempre aberta, para um retorno rápido em caso de perigo (cães soltos). Curiosidade importante: numa das luis-e-francini-3paradas para pernoite em posto de combustível da Argentina, passamos por um susto. Estávamos no passeio noturno com as gatas na parte de trás do posto, onde tinha uma grama e estava bem tranquilo. Estávamos em dois motorhomes que estavam estacionados um pouco mais distante. Estava frio e as portas estavam fechadas; Nosso amigo, proprietário do outro motorhome, que adora gatos se aproximou, porém fez um gesto que acabou por assustar a Cristal que estava com a guia sendo segurada por meu marido Luiz. Então, de súbito, ela correu e a guia escapou da mão dele. Imagina o desespero!!! Porém, para a nossa luis-e-francini-4surpresa, ela correu exatamente para a porta do nosso motorhome, que estava fechada; ela estava assustada, mas soube reconhecer, de longe, qual era a casa dela. Tivemos muito medo de perdê-la naquele episódio, por isso à partir daquele dia, sempre deixamos a porta aberta. O mais interessante, neste caso, foi observar a capacidade de reconhecimento da casa, mesmo essa sendo uma casa rodante, que estava estacionada em local totalmente desconhecido.

luis-e-francini-1

nelson-maria-e-lana

  • O casal campista Nelson e Maria João Proença acampam com o gato Fred e a cadela Lana (ambos com 10 anos). Personagens assíduos nos campings receptivos. São extremamente tranquilos, educados e obedientes. O casal tem por regra só frequentar campings onde seus mascotes sejam bem vindos. Durante a noite dormem juntos em seu quarto privativo. Jamais abandonam a área da barraca sem a companhia de seus donos.

lana-e-fred-1

 lana-e-fred-em-seu-quartolana-em-frente-da-barraca

mimosa-pronta-pra-viagem

  • O casal Anderson (Delegado) e Shirlene também acampa com sua gata, a Mimosa (4). Tão dengosa quanto o nome possa sugerir, Mimosa se coloca em evidência, quando os preparativos de viagem começam.  Sua confortável caminha é ambientada com os mesmos elementos de casa, transportando os mesmos cheiros e a mesma sensação de segurança, tão importante para os animais, principalmente os gatos. Os ambientes naturais dos campings são um atrativo a mais para aguçar a curiosidade dos gatos e cães.

Anderson-e-shirlenemimosa-acampando

shirlene-e-mimosamimosa-na-cama-ambientada

Fredy-pronto-pra-viagem

  • Nosso Fredy, companheiro de todas as viagens, sente-se completamente à vontade dentro da Camper. Sempre que chegamos em algum camping, o Fredy realiza sua vistoria na região que circunda a casa (camper). Qualquer anomalia, animal estranho, toca ou buraco nos é apresentado, em tempo de decidir por outro posicionamento.
  • Durante os dois passeios diários, vai expandindo seus domínios, colecionando novos cheiros, sons e experiências, estimulando seus sentidos e instintos. Reconhece a Camper como seu porto seguro, e dali observa todos os movimentos. Durante o deslocamento, Fredy ocupa o banco traseiro com sua cama, caixa higiênica e sua caixa de transporte. Contrariando o que muitas pessoas pensam, o gato se porta melhor que o cachorro dentro do carro. Os pequenos espaços dão a segurança e conforto primeiros-socorrosnecessários para seu sono tranquilo.
    Para a segurança e saúde do Fredy, levamos um Kit de Primeiros Socorros exclusivo para a ele, incluindo aí medicamentos de emergência especialmente preparados pela sua veterinária. Cada um com seu uso e aplicação específica. Uma intoxicação inesperada pode ser muito perigosa para o gato, em local remoto e sem socorro imediato. Calculamos e estocamos a quantidade necessária de ração para a viagem, evitando soluções de última hora que podem desarranjar o animal. A água servida também é muito importante. Fredy gosta muito de beber água na bica, mas definimos alguns limites, quando a origem não é confiável.Fredy-e-sua-barraca-de-ataque
    Completando nossa tranquilidade, o Fredy tem em sua gargantilha todos os telefones e um sinalizador GPS para ajudar na sua localização caso se afaste involuntariamente da sua base num raio de ação de +- 30 metros. Implantado em sua pele leva também um microchip com todas as suas informações de localização e saúde, que pode ser lido em qualquer clínica veterinária. Cuidado nunca é de menos para quem é muito importante.

fredy-gleidys-e-carlos-em-bombinhas

fredy-no-camping-molhes-em-laguna-scfredy-na-praia-em-bombinhas

Olhando os exemplos acima, fica mesmo difícil de entender os motivos que levam alguns campings a proibir a permanência de animais de estimação. Esperamos que essa tendência PET FRIENDLY seja um motivador de mudança para os casos radicais e inegociáveis de proibição que ainda persistem. Excluímos aí os campings instalados dentro de Parques Nacionais e APAs, onde a presença do animal doméstico é uma ameaça à fauna e a flora ali protegidas.

  • Você leva seu animal de estimação nas viagens?
  • Conte um pouco sobre as dificuldades e as alegrias.
  • Tem alguma experiência interessante para compartilhar?

Uma das últimas descobertas científicas, publicadas na prestigiosa revista Science, é que os cachorros amam seus donos com o mesmo amor do bebê por sua mãe. Também afirma-se que conviver com um animal de estimação, olhar sua mascote nos olhos, brincar com ela ouolhos-nos-olhos acariciá-la, produz forte dose de oxitocina, chamada de “molécula do amor”.
Era conhecido que a oxitocina inibe a amídala, a área cerebral encarregada de oferecer respostas ao medo e à agressão. Essa substância, muito presente nos momentos em que nos apaixonamos, também serve para reduzir o medo social.
Se nos humanos a carga de oxitocina costuma diminuir com o desgaste das relações amorosas, não acontece o mesmo com os animais, que sempre são bebês e consideram seu dono, homem ou mulher, como sua mãe. Por isso, considera-se que o amor que um animal sente por nós é inabalável e de absoluta fidelidade. Eles também estão eternamente apaixonados por nós. Exatamente como um bebê por sua mãe.

Dessas armas e desses muros nunca vai nascer essa “molécula do amor” que vive no coração desses seres que nos ensinam a difícil virtude da fidelidade.

Até breve.    Siga-nos nas redes sociais

         Siga-nos no Twitter Veja nosso canal no YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Google+

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ A LEITURA ABAIXO

Viajando com seu “pet” – animal de estimação
Viajando com seu Animal de Estimação – Legislação e Dicas
TrackR – Perdeu? Achou! – Rastreador de itens perdidos

Aproveite que está aqui, cadastre abaixo seu e-mail em nosso Feed de notícias e receba gratuitamente, todas as atualizações deste blog.

 

Fredy, o gato viajante e suas travessuras – parte 1

fredy-o-gato-viajante--

Fredy, nosso companheiro de viagens, já tem mais de 26 mil kms rodados pelo Brasil e América do Sul. Diferente do que muitos possam pensar, dedicamos ao Fredy toda a atenção e carinho que ele merece. Afinal, é parte de nossa família. Todos os seus instintos e sua natural curiosidade são estimulados por onde estejamos. Ele aprecia muito o ambiente dos campings, com a amplitude dos espaços, o verde, a natureza e os animais. A cada experiência, Fredy vai somando novos cheiros ao seu arquivo pessoal. Veja mais… […]

Viajando com seu Animal de Estimação - Legislação e Dicas

fredy

dezembro/2015 - Dentro do Brasil, não verificamos qualquer problema relacionado com o transporte de nosso gato, o Fredy, muito embora seja correto levar um Atestado de Saúde, atualizado (90 dias) emitido pelo veterinário. Entretanto, para entrar no países do Mercosul ou aqueles que ainda não são signatários, como também América Central e Norte, alguns cuidados precisam ser tomados. Enquanto não experimentamos pessoalmente a transposição de fronteiras, consideramos como orientador neste assunto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, através do documento abaixo: […]

Perguntas e Respostas frequentes sobre Viagens Internacionais com Cães e Gatos

Veja também:

Nota de Esclarecimento sobre o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos

É prudente, também, consultar o consulado do país que pretende visitar, para obter a visão e as leis do lugar, já que tudo é possível na cabeça de um funcionário de aduana ou imigração. Para saber onde se consultar, veja no link a seguir os telefones e endereços de todos os consulados estrangeiros instalados no Brasil.

Endereços de todos os consulados estrangeiros no Brasil

Considere também conversar com o veterinário de seu animal, para primeiros-socorrosmontar um caixa deIMG_0694 primeiros socorros específica para ele, incluindo aí Anti-alérgicos e Anti-tóxicos (principalmente para gatos). Cuidado que você pode perder o estoque de ração ao entrar em alguns países. Mas todo e qualquer sacrifício é justificável para estar com seu amigo aonde você for. Quem consegue resistir a este olhar de solidão aí ao lado? anjo

Veja também o folder sobre o Passaporte para Trânsito, expedido pelo Ministério da Agricultura

passaporte-cao-e-gato-1passaporte-cao-e-gato-2

passaporte-cao-e-gato-3

passaporte-cao-e-gato-4

Como foi a nossa experiência com o passaporte do FredyDraUrsula

Agora, em outubro/2015, levamos o Fredy para aplicar o microchip da Partners, na Veterinária Santo Antônio, em Teresópolis. É requisito para obter o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O Fredy nem percebeu a implantação do microchip. O carinho de sua médica veterinária, a Dra Úrsula, fez a diferença.

Com o chip implantado no animal e de posse do Certificado de Identificação do Microchip (modelo), preenchido pela veterinária responsável e de um atestado de saúde com menos de 30 dias (modelo), deve ser agendada uma entrevista junto a uma unidade da Vigi Agro -Vigilância Agropecuária Internacional, localizada em portos, aeroportos, postos de fronteira e aduanas especiais. No Rio de Janeiro, fica no terminal de cargas da Infraero, no antigo aeroporto do Galeão, Ilha do Governador (21 3398-3169 / 3398-3773). O acesso é meio complicado. Use as coordenadas a seguir no seu GPS do carro (-22.827362°, -43.249075°), ou abra este arquivo .kmz no Google Earth para se posicionar melhor. O animal precisa estar presente para a leitura do microchip.

Você deve levar ainda, 2 fotos 5x7, original e cópia do Atestado de Saúde, do Certificado do Microchip, da carteira de vacinas (em dia), RG do proprietário do animal, comprovante de residência, as etiquetas extras com o código de barras do microchip (será necessária uma unidade para aplicar no passaporte) e o requerimento preenchido – modelo -(se desejar, pode preencher na hora, mas leve sua cópia – lá não tem impressora ou formulário disponível).

Cumpridas todas as exigências, você sairá de lá com o documento emitido. Abaixo, o passaporte do Fredy.

Passaporte-Fredy3Passaporte-Fredy2-Passaporte-Fredy1

Mas não acabou ainda. Você deve retornar à médica veterinária que cuida do seu animal e pedir que transfira para o passaporte, nas páginas correspondentes, as últimas aplicações de vacinas antirrábica, ectoparasitos, endoparasitos e outras, todas assinadas e carimbadas com o CRMV.

sala-vigiagro

E, por fim, procure agendar o mais próximo possível de sua viagem, uma entrevista para obter o CZI (Certificado Zoos sanitário Internacional (21 3398-7072 no Rio, czi-rj@agricultura.gov.br), na mesma localidade da Vigi agro acima, sala 104, levando outro Atestado de Saúde atualizado. O veterinário de seu “pet” precisa atestar, na pág 24 do passaporte, que o animal está clinicamente sadio, datando, assinando e carimbando com CRM. Para entrar no Uruguai, também será necessário levar à VIGIAGRO, um atestado de que o animal “NÃO ESTÁ CONTAMINADO COM LESHMANIOSE”, mesmo sendo um gato, já que essa doença é característica de cães.

atestado-de-saude-do-animalvisto-de-saida

O fim do processo se dá com o carimbo da Vigi Agro na página 30 do passaporte, apontando o país de destino, com data e carimbo do fiscal responsável.

Porque obter o CZI o mais próximo possível da viagem? A validade do CZI é de 60 dias. Caso sua viagem seja superior a 60 dias, vai necessitar obter outro CZI, no país onde se encontra, para poder retornar ao Brasil ou seguir para outros destinos.

Pareceu uma maratona burocrata, mas conseguimos concluí-la, a despeito de quase perder a viagem à Vigi Agro, por conta de um funcionário que não sabia distinguir MERCOSUL de EUROPA. Queria nos exigir, novamente, todos os documentos e requerimentos que já havíamos preenchido na fase de obtenção do passaporte. Não fosse a presença de um fiscal mais experiente, o dia estaria perdido.

Outro fato lamentável, é a total falta de civilidade destes órgãos, que são pagos com nosso dinheiro. Caso você esqueça de preencher algum dos muitos formulários (com certeza por ter sido mal informado), perderá seu dia, porque eles não disponibilizam, copiam ou imprimem para você. Por causa de uma impressão ou cópia xerox (R$ 0,10) você terá que ir embora, procurar uma “lan-house” na Ilha do Governador, acessar o site da própria Vigi Agro para obter o papel e retornar outro dia, já que você está perdido no meio do terminal de carga da Infraero, sem qualquer recurso. Triste ver coisas assim ainda acontecerem.

Esperamos ter contribuído para que a sua maratona seja menos complicada e bem sucedida.

Ahh!! A partir de agora, todas as demais vacinações devem ser registradas diretamente no passaporte, mesmo que não pretenda viajar, inclusive as vermifugações e aplicações de anti-carrapaticidas e pulgas. Procure também cadastrar as informações do chip e do proprietário no site da ABRACHIP. Pode ser útil na eventualidade de um desaparecimento.

separador

Até breve.    Siga-nos nas redes sociais assinatura

           Siga-nos no Twitter Veja nosso canal no YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Instagram